A lenta volta do futebol | Por André Romero

A pandemia do Covid-19 continua prolongando a quarentena em diversos locais do mundo. Muitas pessoas ainda evitam sair de suas casas e as aglomerações ainda se encontram distantes da realidade, porém algumas atividades já estão sendo retomadas. Shoppings e comércios estão reabrindo, e o futebol está voltando aos poucos para nossas vidas, porém de maneira diferente do que o habitual.

A redução dos patrocínios e das cotas recebidas pelas transmissões, principalmente da TV, põe os clubes em uma situação delicada, afinal, custos como o pagamento de jogadores e funcionários foram mantidos, apesar de, em alguns casos, terem sido reduzidos. Por conta disso, muitos clubes anseiam pela volta das atividades, apesar de, no Brasil, o momento não ser o ideal para isso. O que impede que isso aconteça são as medidas governamentais de cada Estado, porém, quanto mais tempo se passa, mais elas tendem a ser flexibilizadas.

A volta oficial do futebol brasileiro ocorreu na última quinta-feira, dia 18/06, após a interrupção de 93 dias. A partida entre Flamengo e Bangu foi a pioneira nessa retomada, sendo o campeonato carioca o primeiro torneio a ser reiniciado em âmbito nacional.

Apesar de sua volta, podemos identificar diversas mudanças no esporte. A sua essência continou a mesma, mas diversas alterações tiveram que ser estabelecidas para que o futebol pudesse de fato retornar.

Portões fechados

A mudança mais impactante e perceptível nos jogos foi a proibição da entrada das torcidas nos estádios. A medida se mostrou extramamente necessária, afinal, no atual momento as aglomerações devem ser evitadas ao máximo.

Com essa mudança brusca no cenário, o jogo ganha um ar totalmente diferente. O que antes era abafado pelos gritos e cantos das torcidas, agora é facilmente perceptível para os ouvidos dos telespectadores. A comunicação entre os jogadores e o técnico, o barulho do chute e o estalo da bola batendo na trave são exemplos disso. O ambiente não está mais com aquela energia do espetáculo que é um jogo de futebol profissional, se assemelhando mais a um jogo treino.

5 substituições

Devido à pandemia, a International Football Association Board (IFAB), órgão que regula as regras do futebol, seguiu recomendação da Fifa e efetuou uma mudança temporária nas regras do esporte, passando a permitir que as equipes façam até cinco substituições por jogo. A medida, que já está sendo posta em prática, é temporária e, a princípio, será adotada para as temporadas 19/20 e 20/21 dos campeonatos.

Segundo a Fifa, a mudança foi feita para proteger os atletas, após o período de confinamento que eles tiveram de passar por conta do Covid-19.

Apesar do número de substituições ter aumentado, as possibilidades para que elas ocorram foram limitadas a três oportunidades, para evitar que o jogo seja interrompido muitas vezes.

Arquibancada como novo espaço para ser explorado

Com a proibição da entrada do público, a arquibancada se torna um espaço vazio que pode ser explorado de diversas formas. Ações publicitárias e outras estratégias estão sendo postas em prática para essa nova realidade e podemos observar alguns exemplos ao redor do mundo.

Na final da Copa da Itália, painéis de LED foram usados para remeter às cores dos dois times finalistas. No lado direito, as cores da Juventus e, no lado esquerdo, as cores do Napoli. No centro, encontrava-se a logo da Copa da Itália, com um vermelho no fundo.

Na Alemanha, o Borussia Mönchengladbach usa torcedores de papelão nos jogos que disputa em casa para ocupar os assentos e também para gerar receita, tendo em vista que os torcedores que foram destacados pagaram para sua foto estar presente nos manequins.

Na Inglaterra, no jogo entre Manchester City e Arsenal, o time da casa aproveitou o espaço para divulgar os seus patrocinadores através de bandeirões que ficaram estrategicamente posicionados nas arquibancadas. Além disso, telões exibiam fotos de torcedores do clube e os alto falantes do estádio simulavam cantos e reações da torcida.

Medidas de segurança

Como forma de garantir a saúde e bem-estar dos atletas e de outros profissionais envolvidos no jogo de futebol, testagens envolvendo todos os jogadores e funcionários dos clubes estão ocorrendo mais de uma vez por semana. Esse controle é fundamental, pois é impossível evitar o contato físico dentro de uma partida de futebol.

Limites para profissionais envolvidos nas partidas também foram estabelecidos. Um exemplo disso é no futebol português, onde nas partidas da I Liga e II Liga são permitidas até 185 pessoas nos estádios durante os jogos.

É recomendado também que o contato físico seja evitado nas comemorações, porém essa indicação é ignorada em muitos casos pelos jogadores.

Todos estamos com saudades do futebol, tanto de assisti-lo, quanto de vivenciá-lo, sendo indo aos estádios ou praticando o esporte. Aos poucos, ele está voltando às nossas vidas, porém ainda teremos que aguardar para que ele volte da maneira em que nos deixou.

Cursando Publicidade e Propaganda na PUC-RIO. Apaixonado por futebol desde cedo, escrevo para o Brand Bola sobre sócio-torcedor e relação torcida-clube. Instagram: @andreromero98

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *