Mineirão, Skank e mulheres fazem o sucesso da live de ontem | por Samuel Lloyd

Uma live empolgante, com produção minimalista, carregada de simbologia e cenas espetaculares. A banda mineira foi a atração em um dos principais estádios do país mas, nos bastidores, a viabilidade da diversão foi um gol de placa das mulheres.

Nossa equipe, tão acostumada aos holofotes, craques, backstages e câmeras já sentia muita falta de ver a movimentação em volta da nossa marca. Com previsão de mais de 300 eventos para 2020, desde 16 de março, o Mineirão fechou as portas para o público em função da COVID-19. Direcionamos as ações institucionais para solidariedade e exercício da empatia, como no feriado de Tiradentes, quando a Banda do Corpo de Bombeiros embalou os acordes para os vocais de Rogério Flausino, Podé e Bauxita em uma ode improvisada à Minas Gerais e à liberdade.

Mas, ontem, seguindo rigorosamente todas as precauções que o momento exige, a produção foi espetacular!

Os meus canais das redes sociais, e também dos meus colegas que trabalham no Mineirão, estão lotados de comentários positivos e nada disso aconteceria sem o profissionalismo das mulheres. Cito, em especial, algumas delas: Nossa gerente de Comunicação e Relações Institucionais, Ludmila Resende, que liderou esse projeto com garra e apoiada pela gerente de eventos, Priscilla Machado, que facilitou e comandou a produção, por parte do Mineirão. Elas atuaram ao lado do time da Diverti e produção do Skank, que nos maravilharam com direção artística, musical e de cena de alta qualidade e o resultado foi mágico! A ação de ontem foi, também, uma das raras oportunidades de receita positiva para o estádio neste período de isolamento. Vale lembrar que esse recurso. será contabilizado por outra mulher, nossa gerente administrativa Jacqueline Alves.

Sempre houve mulheres incríveis no time, mas a cada ano elas crescem e conquistam o merecido espaço de liderança em uma empresa que tenta ser tão diversa quanto seu público e suas comunidades de relacionamento. Mas, nem sempre foi assim. Em 2015, 100% do grupo gestor do Mineirão era composto por homens. Hoje, são 3 gerentes mulheres ao lado de 3 gerentes homens. Outros dois homens ocupam a diretoria. Percebo que o ambiente de negócios ainda é extremamente machista e misógino mas, com velocidade acima da média do segmento, mesmo que ainda aquém da velocidade do resultado que elas proporcionam, percebo o Mineirão construir novas pontes e destruir alguns muros. O resultado da diversidade é o sucesso! É nisso que acreditamos, assim pensam as melhores empresas para se trabalhar e, também, a maioria daquelas que entregam maior valor aos seus clientes e acionistas.

Hoje, após uma live incrível em que fomos brindados pelo talento de tantos homens na frente das câmeras no templo do futebol, o meu agradecimento especial vai para todas as mulheres do time Mineirão que nos brindam, dia após dia, com o prazer de aplaudi-las de pé.

O artigo foi publicado originalmente no Medium.

Samuel Lloyd é Diretor Comercial na Urbia Gestão de Parques e no Estádio Mineirão. É graduado em Comunicação Social pela PUC-MG e Especialista em Marketing de Serviços na Mackenzie e FGV-SP. Em sua trajetória, foi Chefe de Marketing Global e America Latina para a Grã-Bretanha no VisitBritain, gerente de Marketing e Intercâmbios de trabalho no Student Travel Bureau e coordenou a área de Educação para o Lazer do Senac São Paulo.

Espaço para divulgar eventos, cursos e projetos esportivos. Vamos trocar ideias sobre o funcionamento da Indústria do Esporte no Brasil, com o intuito de reunir todos os esportes, debater o momento esportivo que passamos, compartilhar cases e experiências vivenciadas e fazer esse segmento atingir um nível cada vez mais eficiente e profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *