fbpx

As ações no mundo do futebol em meio à pandemia | POR ANDRÉ ROMERO

O futebol continua paralisado devido à pandemia do COVID-19 que estamos vivenciando. Com raras exceções, como o campeonato sul-coreano que retomou as suas atividades nesta última sexta feira (8), e também como o campeonato alemão que estará de volta no sábado (16), muitas ligas ainda discutem qual a melhor decisão a ser tomada em uma crise que o futebol internacional nunca vivenciou.

Os cofres dos clubes se encontram em um momento estável. Grande parte das receitas que normalmente eram obtidas no cenário pré-pandemia, como, por exemplo, o dinheiro arrecadado nas bilheterias de um jogo, estão atualmente indisponíveis.

Cada vez mais ações de arrecadação e estratégias voltadas para o funcionamento das logísticas internas dos clubes em um momento de crise estão sendo postas em prática. Afinal, seus custos, como o pagamento dos salários de jogadores e funcionários, tendem a ser bastante altos, e, com o futebol paralisado, manutenções e estratégias criativas de levantamento de fundos são necessárias.

A solidariedade também é um importante ponto a ser tocado. A crise é para todos, mas aqueles que se encontram em um momento de necessidade e pouca estabilidade financeira terão maior dificuldade para superar este momento. Doações de cestas básicas, máscaras e álcool gel já podem ser observadas por diversos personagens do mundo do futebol, como jogadores, times e até confederações.

A seguir, poderemos observar 5 ações exemplares feitas no ramo do futebol, que podem servir de inspiração não somente para outros clubes, mas também para qualquer empresa.

1.Borussia Mönchengladbach

A equipe alemã criou uma criativa estratégia para o momento em que o futebol se encontra. O campeonato alemão está próximo de voltar, porém a realização dos jogos com os portões fechados é mais um reflexo da pandemia.

Tendo isso em vista, o clube realizou um projeto de preencher os assentos vazios do estádio com manequins personalizados, tendo espaço até para a torcida visitante.

Foi anunciado que 4,5 mil imagens foram instaladas. Outras 12 mil foram encomendadas. Em suas redes sociais, o Gladbach compartilhou fotos de como estão ficando as arquibancadas do Borussia Park e mostrou até torcedores do Borussia Dortmund representados.

Os manequins são de papelão em tamanho real, onde são estampadas imagens de torcedores da equipe. Os objetos são à prova d´água e vendidos por 19 euros (cerca de R$ 120). Além disso, o torcedor pagará mais 2,50 euros como se fosse um ingresso simbólico do seu avatar.

São aceitos torcedores de qualquer clube no projeto. Há portais disponíveis em alemão e inglês para adquirir seu manequim e um lugar no Borussia Park, que tem capacidade para 59 mil espectadores.

2.Paysandu

O Papão criou um evento chamado O Jogo da Vida. Ele consiste em uma live que inicialmente ocorreria no dia 18 de abril, mas foi adiada para 17 de maio. Nela serão apresentados lances da histórica vitória do Paysandu sobre o Cruzeiro no jogo de volta da final da Copa dos Campeões de 2002. Além disso, ainda ocorrerá uma exibição do grupo de pagode SambaPapão.

A exibição será aberta ao público pelo Facebook, mas o Paysandu tem vendido “ingressos virtuais” para a live a R$ 7 como forma de arrecadar fundos visando equilibrar as receitas do clube durante a paralisação do futebol no país. Como forma de incentivar a compra, o Paysandu estabeleceu uma promoção. Quem comprar um ingresso para “O Jogo da Vida” ganha R$ 10 de desconto na entrada da primeira partida da equipe ao término da quarentena.

Nesta sexta-feira (8), foi confirmado que o número de ingressos vendidos chegou a 3.100 – o que dá uma renda bruta de R$ 21.700,00.

A campanha foi iniciada em 16 de abril, e parte do valor arrecadado já foi repassado à Casa Pão de Santo Antônio, que cuida de idosos da região.

3.Bayern de Munique

Dezenas de milhares de lenços comemorativos pelos 120 anos do Bayern de Munique, que seriam distribuídos no Allianz Arena no jogo contra o Chelsea, dia 18 de março, foram transformados em máscaras de proteção contra o coronavírus, em uma ação beneficente para ajudar as vítimas da pandemia.

Vendidas no site do clube em tamanho infantil e adulto, todo o lucro é distribuído para empreendimentos beneficentes que atuam para diminuir os efeitos da pandemia de Covid-19, como bancos de alimentos e suprimentos médicos, ajuda a desabrigados e serviços de doação de sangue.

Apoiada pela iniciativa “WeKickCorona”, criada por Kimmich e Goretzka, jogadores do elenco, uma solução criativa foi encontrada para os lenços que entrariam em desuso devido à suspensão da partida de volta das oitavas de final da Champions League.

“Com esta ação, queremos mostrar que o Bayern está fazendo todo o possível para lidar com a pandemia de maneira exemplar e disciplinada. Temos o prazer de poder contribuir para a maravilhosa iniciativa de Joshua e Leon. Este é um ótimo exemplo de como nossos jogadores reconhecem suas funções como modelos na sociedade e demonstram solidariedade nesta crise” – afirmou o ex-craque e atual CEO do Bayern, Karl-Heinz Rummenigge.

4.CBF

Nesta última quarta feira (6), o mascote da seleção brasileira, conhecido popularmente como “Canarinho Pistola” participou da entrega de cestas básicas para famílias carentes no Rio de Janeiro.

A ação foi realizada pelo “Movimento Seleção Solidária”, campanha beneficente organizada pela CBF para ajudar cerca de 32 mil famílias afetadas.

Os jogadores da seleção, junto com a comissão técnica e o presidente da CBF, Rogério Caboclo, arrecadaram o total de R$ 2,5 milhões, valor que foi dobrado pela própria confederação. Os R$ 5 milhões foram destinados à compra de cestas básicas de alimento, limpeza e higiene pessoal, e a distribuição foi feita através das entidades Ação da Cidadania, Central Única das Favelas (CUFA) e Transforma Brasil.

5.Alavés

O Alavés, 14º colocado do Campeonato Espanhol, adotará na primeira partida após a volta do futebol espanhol um uniforme com a marca OSI Araba (rede de saúde da região do País Basco) como patrocínio principal. A ação também será realizada no Saski Baskonia, time de basquete que pertence aos mesmos donos do clube de futebol.

O clube colocará a camisa à venda ainda em maio, a 39 euros (cerca de R$ 235 em valores atuais) cada. Além disso, também estará disponível uma linha de pulseiras com o lema “Aplausos Sanitários”, a 1 euro cada (R$ 6,1) ou 3 euros (R$ 18,4) pelo pacote com quatro.

A ideia do Alavés é agradecer a profissionais de saúde que estão na linha de frente do combate à COVID-19. Todo o montante arrecadado com as vendas será revertido à Organização Colegial de Enfermagem e fomentará diferentes projetos.

Cursando Publicidade e Propaganda na PUC-RIO. Apaixonado por futebol desde cedo, escrevo para o Brand Bola sobre sócio-torcedor e relação torcida-clube. Instagram: @andreromero98

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *