O atual momento dos programas de sócio torcedor | Por André Romero

Os programas de sócio torcedor, fonte de receita cada vez mais importante para os clubes, são mais uma atividade em risco diante da paralisação do futebol nacional em função do surto do coronavírus. A falta de jogos e a estabilidade financeira que a atual situação está se encaminhando pode acarretar em uma grande perda de apoiadores. Afinal, os benefícios em volta do ingresso são um dos principais fatores que motivam a adesão.

Desassociar o programa do ingresso, apostando na paixão, é a alternativa viável para manter os torcedores vinculados financeiramente aos clubes. A relação do sócio com o clube não pode ser só financeira, e não deve girar em torno do dinheiro, mas da paixão, especialmente nesse momento.

No confinamento, uma alternativa interessante seria inserir experiências e benefícios que possam ser usufruídas dentro de casa, como bate papos com jogadores ou dirigentes dos times, partidas de jogos online em conjunto com ídolos e outras atividades que possam aumentar o engajamento da torcida.

Alguns clubes brasileiros já tomaram algumas medidas para que não ocorra uma grande queda no número de sócios, e consequentemente, uma considerável perda na receita.

Durante a paralisação, a taxa de adesão de torcedores do Fluminense ao projeto Sócio Futebol foi maior que a de evasão. Para cada associado que pediu desligamento, o clube teve três novos sócios. Os números comprovam o resultado positivo da ação, lançada no início de abril, que dobrou os benefícios dos associados.

A ação feita dá desconto extra nos ingressos para os jogos. Os planos que davam direito a 50% de desconto nas entradas das partidas com mando de campo do tricolor carioca passaram a ter 100%, ou seja, acesso gratuito. Já os planos que dão direito a um ingresso passaram a dar direito para duas entradas.

O Palmeiras aposta numa promoção para tentar manter a adesão ao programa de sócio-torcedor. O clube anunciou que as mensalidades do Avanti que forem pagas durante o período de paralisação do futebol serão revertidas em créditos para ingressos de jogos futuros do time como mandante.

O benefício será válido até 31 de dezembro de 2021. O exemplo citado pelo clube em nota oficial foi: quem tiver Plano Ouro e pagar R$144,99 por mês, terá R$289,98 em crédito para comprar ingressos em qualquer setor disponível, além do ingresso que já tem direito no seu plano. Segundo o clube, o “sócio Avanti tem sido fundamental para a construção do novo momento pelo qual vive o Palmeiras”.

O Corinthians lançou uma ação promocional chamada de “Eu nunca vou te abandonar”. A promoção oferece bônus de pontuação independente da compra dos ingressos para sócios que efetivarem o pagamento dos planos anual, semestral ou mensal.

O Fiel Torcedor que pagar pelo período de um ano receberá 20 pontos em sua conta e o semestral receberá 6 pontos por pagamento (limitado a 14 pontos). Já o associado que optar pela forma de pagamento mensal receberá dois pontos por parcela quitada (limitado a 10 pontos).

A receita vinda dos programas pode ser um grande reforço para superar esse momento de crise e sustentar custos como salários de jogadores e funcionários.

O desafio para os times é manter essa receita ativa em meio a tantas outras que já caíram, como a saída de alguns patrocinadores, a paralisação no pagamento do contrato pelos direitos de transmissão e também a bilheteria dos jogos.

Cursando Publicidade e Propaganda na PUC-RIO. Apaixonado por futebol desde cedo, escrevo para o Brand Bola sobre sócio-torcedor e relação torcida-clube. Instagram: @andreromero98

2 comentários sobre “O atual momento dos programas de sócio torcedor | Por André Romero

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *