Um pouco da relação entre Heineken e Champions League. | Futebol de Terno, por Fellipe Gonçalves

Este humilde colunista que vos fala é, assim como você, apaixonado por futebol, principalmente se vier acompanhado de uma cerveja gelada e uma boa porção de batatas. Em minha primeira faculdade, normalmente às quartas-feiras, juntava alguns amigos em casa para assistir a um jogo de futebol acompanhado de cervejas. Qual o campeonato? UEFA Champions League. Qual a cerveja? Heineken.

Não comprávamos outra cerveja para acompanhar as partidas da Champions. Se alguém levava outra marca, guardávamos para beber em outra oportunidade. Às quartas de futebol, apenas a Heineken era aceita, como em um ritual sagrado. Lembro-me de Lionel Messi entortando a coluna de Jérôme Boateng no Camp Nou em 2015, do gol salvador de Sergi Roberto para contrariar a lógica contra o PSG em 2017 e do golaço de bicicleta de Cristiano Ronaldo contra a Juventus em 2018. Em todos esses momentos, segurava uma inconfundível garrafa verde de 330ml, com uma estrela vermelha no rótulo.

Ao ver a logo da UCL, acompanhado de algum detalhe verde com vermelho, já fazemos a relação automática entre as duas. Por que isso acontece? Como as duas marcas chegaram a esse nível de sinergia? Descobriremos em seguida.

15 anos de parceria

Desde 2005 patrocinando o torneio, a cervejaria já protagonizou muitas campanhas publicitárias que viraram case de sucesso. Uma das primeiras campanhas que vem à mente é a “The Cliché”, que levou 3 rapazes para assistir à final de 2014 em um evento da Heineken sem suas namoradas. Já elas, foram assistir ao jogo em Milão, no Giuseppe Meazza. Após isso, elas fizeram o convite aos seus namorados para assistir a final de 2017, em Cardiff. A campanha deixou a reflexão “já pensou que sua namorada pode gostar de futebol tanto quanto você?”.

Nesta outra campanha, intitulada “3 Minutes to the Final”, estava escondido em um supermercado a outra metade de um ingresso para o jogo. A dica: 9. O que não contavam era que o ingresso estaria com o lendário camisa 9 da seleção chilena e da Internazionale (ou seria 1+8?): Iván Zamorano.

A tal da espetacularização, citada anteriormente por mim nesse texto, é amplamente explorada pela Heineken ao utilizar de toda a mística do campeonato para protagonizar ativações épicas para a marca. Que, por muitos e muitos anos, possamos nos prevalecer do ritual e assistir a um jogo de Champions League enquanto apreciamos uma Heineken!

_____________________________________________________________________________

BÔNUS: Deixarei mais duas campanhas INCRÍVEIS da marca, mas destinadas à Fórmula 1.

Na peça intitulada “The Perfect Man”, o ex-piloto David Coulthard está em uma after party em Monte Carlo e busca fazer o tipo “simpático e entrosado” com todos. O que não se sabe é que, para isso, há uma equipe mandando todas as informações em um ponto em seu ouvido. O desenrolar da história é sensacional e busca passar a mensagem de que “bons resultados são sempre um trabalho em equipe”.

Em outra campanha, a Heineken busca conscientizar sobre a necessidade de não consumir bebidas alcoolicas enquanto estiver dirigindo. Para isso, o piloto Nico Rosberg, em uma festa pós-corrida, rejeita uma cerveja sob a desculpa de “still driving” (continuo pilotando). No vídeo, embora haja a negação de um produto da marca, indiscutivelmente o brand awareness é muito bem valorizado.

Cearense, graduado em Marketing, atua como Social Media e Redator. Um apaixonado por futebol que não se tornou jogador, mas se mantém próximo escrevendo sobre gestão e marketing no esporte.
Instagram: @_felliipe e @marketingfutebolclube

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *