“Vamos falar de experiências? Minha coluna de estréia sobre live marketing no Brand Bola, por Cristiano Morão”

Fala Brand Boleiros, tudo tranquilo?

Meu nome é Cristiano Morão e a partir de hoje (17/02) tenho um encontro semanal com vocês todas às segundas-feiras para falarmos um pouco de planejamento e estratégia no marketing dos clubes, entidades e patrocinadores do futebol, tendo sempre um olhar mais voltado ao live marketing ou marketing de experiência, como preferirem.

O que fato é que atualmente o marketing no futebol vem ganhando cada vez mais importância nas finanças dos clubes e entidades e o tempo de estampar as marcas apenas num backdrop já está muito distante de nossa realidade.

Mas afinal, o que é o live marketing?

De maneira bem resumida, é conquistar, engajar e fidelizar um cliente (ou um fã do futebol) através de uma experiência que deve ser capaz de criar um vínculo afetivo com a marca e não necessariamente converterá em venda no momento. Alguns exemplos de ações de live marketing do seu dia a dia são:

– Os promoters que distribuem brindes em shopping, supermercados;

– Empresas que oferecem tour por cidades históricas;

– Empresas que emprestam ou doam acessórios para atividades esportivas;

– Até mesmo outras mais sofisticadas como as duchas da SPRITE nas praias de Búzios

Foto: Linkedin/JulianoPaiva

Certo, já entendemos isso, mas porque este tipo de ação/ativação ganha cada vez mais espaço? E a resposta é simples: além da exposição das marcas para um público seleto e direcionado, a experiência vivida deixa um residual importantíssimo na memória do consumidor que acaba sendo um gatilho de resgate antes de decidir sua próxima compra.

Para exemplificar para onde caminham as ações, durante a Copa América 2019 a GOL Linhas Aéreas – patrocinadora da competição – momentos antes da partida final entre Brasil x Peru, desenvolveu uma ação onde o humorista Rafael Portugal abordava torcedores peruanos e oferecia uma viagem patrocinada pela empresa para qualquer destino no Brasil em troca dos ingressos da partida. Dois peruanos aceitaram a proposta e não entraram no Maracanã naquele dia para conhecerem Fernando de Noronha por conta da GOL.

Foto: aeroin.net

Entendido estes conceitos, como os clubes de futebol tem explorado este braço do marketing no Brasil e no mundo? Quantos clubes, principalmente os brasileiros, desenvolvem parceria com patrocinadores recorrentes ou potenciais para proporcionar boas experiências e aumentarem as receitas através do marketing e o reconhecimento das marcas junto a base de fãs?

 A análise destes cenários, as principais campanhas, as diferenças entre o que é praticado no Brasil e fora dele, as estratégias por trás destas ações e a influência do fraco desempenho  do produto futebol no Brasil são os principais temas que passaremos a abordar e discutir semanalmente através deste canal.

Vamos viver essa experiência?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *