O $ócio torcedor do Flamengo | Por André Romero

Apesar da boa fase do Flamengo, nem tudo é um mar de rosas para o rubro-negro. O programa de sócio-torcedor do clube vem recebendo diversas críticas por parte da torcida. Os preços acima da média dos planos disponíveis e o alto valor cobrado sobre os pacotes de ingressos para a temporada 2020 são as principais causas para essa insatisfação que cresce cada vez mais.

O primeiro lote do “Pacote Brasileirão Temporada 2020”, que contempla todas as partidas do Flamengo no Maracanã pelo Brasileiro, e do “Pacote Maracanã Temporada 2020”, que inclui todos os jogos da equipe em casa na temporada, com exceção dos clássicos do Campeonato Carioca e de uma eventual final Libertadores, sequer chegaram nos planos mais baratos que abrigam a maior parte dos sócios. Aos torcedores que não podem pagar mais de R$ 100,00 por mês somente para ter prioridade, sobrou apenas o segundo e terceiro lote com um aumento no preço de 15% e 72%, respectivamente, em relação ao primeiro.

Tal insatisfação vem sendo manisfestada em forma de protestos que estão se tornando cada vez mais presentes no cotidiano rubro negro. Na quarta-feira, dia 29/01, onde Flamengo e Fluminense se encontraram pelo Campeonato Carioca, faixas como “Fe$ta na favela, preço de elite”, “Exploradores de paixão” e “Pior $T do Brasil” foram expostas no Setor Norte do Maracanã. Além disso, em dezembro do ano passado, na noite de quinta feira do dia 26, o muro da sede do Flamengo foi alvo de pichações por parte de torcedores. Em uma delas estava escrito “ST popular já! Chega” mostrando a indignação da torcida com a maneira que está sendo tratada a questão do programa de sócios.

    

O sócio torcedor do Flamengo é um dos mais eficazes e lucrativos do cenário brasileiro. Hoje, são praticamente 130.000 sócios, e, em 2018, obteve, somente com o programa, uma receita de 48 milhões de reais (sendo maior que a receita de sócio dos outros 3 principais times do Rio juntos neste ano). Porém, apesar das reclamações, recentes reajustes fizeram com que os planos ficassem mais caros e cada vez menos acessíveis.

Ao comparar com o programa de sócios do Vasco, por exemplo, vimos que, enquanto o plano mais acessível por parte do time alvinegro custa mensalmente R$24,98, o do time rubro negro custa R$54,90 por mês, sendo mais que o dobro do valor cobrado pelo rival. Na atual situação, a diretoria do clube parece estar afastando cada vez mais a parte popular de sua torcida, essa que foi responsável por grandes espetáculos no decorrer de sua história.

Vale ressaltar que essa parte popular da torcida representa uma parcela significativa dos flamenguistas, e que, se a diretoria e o departamento de marketing continuarem mantendo essa política cada vez mais elitista, esse atrito com a torcida pode se transformar em uma grande dor de cabeça. Apesar disso, a receita do clube vem aumentando cada vez mais. Os preços mais caros possibilitam a diretoria montar um elenco de maior qualidade técnica e melhorar tanto a infraestrutura, quanto a logística em torno de seus atletas. Os resultados ficaram evidentes em 2019, sendo um dos anos mais vitoriosos de um clube brasileiro.

Hoje, a torcida do Flamengo é a maior do país, fato comprovado pelo último levantamento do Datafolha, onde o time possuiu preferência de 20% dos entrevistados. Porém, este fato oferece um grande desafio ao clube: Como inserir no futebol a parcela de sua torcida que não consegue pagar os altos valores cobrados de uma forma em que a receita continue sendo suficiente para manter um time campeão?

 

 

Fonte das fotos: @gavonagavea

Cursando Publicidade e Propaganda na PUC-RIO. Apaixonado por futebol desde cedo, escrevo para o Brand Bola sobre sócio-torcedor e relação torcida-clube. Instagram: @andreromero98

2 comentários sobre “O $ócio torcedor do Flamengo | Por André Romero

  1. Big boss disse:

    Realmente é um grande dilema entre rentabilidade e inclusão. Acredito que o Flamengo deveria destinar cerca de 20% dos lugares para o torcedor de baixa renda e compensar essa diferença nos setores mais caros. Historicamente, não só os do Flamengo mas todos os jogos dos clubes de futebol se caracterizaram por ser um ambiente inclusivo e frequentado majoritariamente pelos mais humildes. Enfim, a equação financeira precisa fechar e, para isso já existe o programa de ST. E, por outro lado, aquele torcedor que ama o clube precisa ter a oportunidade de ir ao estádio de futebol, mesmo que isso lhe custe horas de filas!

  2. Igor disse:

    Não querendo ser bairrista, mas queria ver se tem algum jornal do Estado do Rio de Janeiro, se tem um Blog ou noticias dos times aqui do estado de Minas Gerais ou de outros estado.. Se deixar ir infiltrando notícias de times do Rio e São Paulo em jornais de outros estados, acaba influenciando as pessoas a torcerem para esses times.. Está certo que o Flamengo é o time da vez agora, mas esquecem que a Globo Lixo é flamenguista e que a Petrobras patrocinou o Flamengo há muitos anos…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *