Propósito. Simples assim – Por Vinícius Azevedo

Em 100% das palestras que tenho visto ultimamente e nas que sou convidado para falar, uma palavra aparece com protagonismo: propósito. Arrisco dizer que hoje se fala mais essa palavra do que resiliência, que virou um bordão indispensável nas pautas corporativas na última década.

As mudanças de comportamento são cada vez mais rápidas. Hoje, se espera e até mesmo se cobra, um posicionamento propositivo e autêntico das marcas. Como ouvi outro dia num evento da Interbrand, cada vez mais enxergam as marcas como pessoas, ou seja, até os erros são esperados, afinal ninguém é infalível. Que sejam erros reparáveis e que estes reparos sejam consistentes e convincentes.

Sabe aquela campanha da família feliz, unida, numa beca impecável, com uma mesa farta no café da manhã? Não cola mais. Se há alguma família que consegue se reunir nessa plena paz logo cedo, sem a mãe descabelada, sem o pai com cara de sono, com as crianças sem roupas amassadas, e sem pressa, que me apresentem rsrs.

Faço essa reflexão para lembrar da primeira palestra que teve o “propósito” como o tema principal e que, obviamente, mudou a minha maneira de pensar. Foi em 2016, no excelente evento EuroLatamSummit, em Santiago. Naquela ocasião, Francisco Lettieri, head de marketing do Cerro Porteño, tradicional clube da capital paraguaia, apresentara um case muito interessante, referente à reforma do seu estádio: La Nueva Olla – El Barrio Obrero. O título da apresentação já era uma provocação, no bom sentido: “Marcas com Propósito”.

Era essa a mensagem que ele queria deixar para todos da plateia ao compartilhar um movimento ousado e muito propositivo do Cerro, que aos poucos foi dando uma chance de emprego a vários torcedores organizados do clube que estavam desempregados, mediante a uma série de contrapartidas de responsabilidade tanto de cada contratado, quanto das duas barras (torcidas) envolvidas no projeto. O resultado desse movimento foi surpreendente, tanto referente à produtividade da obra, quanto à diminuição da violência nos arredores do estádio. Além disso, as torcidas se aproximaram e trouxeram uma atmosfera ainda mais contagiante aos torcedores do Cerro. Para os contratados, além do emprego temporário, uma carta de recomendação para que buscassem novas oportunidades com uma referência positiva.

cerroporteno2

Em tempos onde parece ser mais cômodo apontar o dedo em riste e vomitar um monte de regras, um clube de futebol resolveu oferecer a oportunidade de uma vida mais digna a pessoas que estavam sem qualquer perspectiva e o resultado? Redução da violência, otimização da produtividade da obra e preparação de novos profissionais para o mercado.

Os problemas podem voltar um dia, mas isso não importa. O que importa, de verdade, é a atitude propositiva do clube em relação à sua comunidade, mesmo que isso simbolizasse correr riscos.

Por mais iniciativas que visam a transformação social, trazendo oportunidades a quem não tem, gerando reflexão em prol de causas nobres e provocando a mudança de hábitos que jogam contra a sociedade.

Para quem quiser, deixo o vídeo desse projeto espetacular e que pouco foi difundido no Brasil:

#MarcasComPropósito #BarrioObrero #LaNuevaOlla #CerroPorteño

Vinícius Azevedo é formado em Administração pela PUC-SP. Já passou por Unilever, 9ine, Havas e atualmente é Gerente de Marketing da Arena Corinthians.

Espaço para divulgar eventos, cursos e projetos esportivos. Vamos trocar ideias sobre o funcionamento da Indústria do Esporte no Brasil, com o intuito de reunir todos os esportes, debater o momento esportivo que passamos, compartilhar cases e experiências vivenciadas e fazer esse segmento atingir um nível cada vez mais eficiente e profissional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *