Como a tecnologia pode auxiliar os clubes de futebol a encarar os novos desafios para a sua expansão? | Por Fabio Freitas

Estou muito honrado pelo convite e pela oportunidade em estrear o novo espaço. O Brand Bola é um portal de marketing esportivo que busca apresentar um conteúdo diferenciado, daqueles que o leitor não encontra facilmente na web.

Assumi o compromisso de até o final de 2018 escrever duas colunas mensais, onde abordarei temas relacionados a melhor utilização da tecnologia, principalmente, para acelerar o engajamento de torcedores nos clubes de futebol.

Todas as temáticas que forem apresentadas neste canal contarão com uma visão geral do ambiente de negócio para permitir a sua melhor contextualização e entendimento. Na sequência, trarei alguns cases de mercado para facilitar a compreensão dos leitores. Espero que vocês gostem desta proposta!

Aproveito a oportunidade para convidar os fãs deste canal para interagirem comigo, inclusive, sugerindo temas para compartilharmos novos conhecimentos.
Para iniciar, vamos falar um pouco sobre os novos desafios para o crescimento e expansão dos clubes de futebol!

Sejam todos muito bem-vindos. Tenham uma ótima leitura.


A tecnologia é um dos maiores aliados da humanidade, no esporte, não é diferente. Os avanços tecnológicos permitem que os torcedores desfrutem de uma nova comodidade para acompanhar as suas partidas preferidas. Além disso, a recém terminada Copa do Mundo realizada na Rússia, assegurou, na grande maioria das vezes, que as decisões da arbitragem fossem mais assertivas através do uso do VAR (sigla em inglês de video assistant referee ou árbitro assistente de vídeo).

Em paralelo, no cenário da gestão esportiva, vivemos em um mercado global altamente dinâmico e competitivo, onde os clubes, enfrentam novos desafios para a sua expansão e engajamento dos seus torcedores (seus clientes).

As expectativas dos consumidores aumentaram significativamente ao longo das últimas décadas. Os clientes tornaram-se mais sofisticados, interessados em inovação e produtos/serviços personalizados. Ao mesmo tempo, estão se tornando mais imprevisíveis em seus gostos e necessidades.

A tarefa de atingir o público-alvo está se tornando mais complexa e onerosa, principalmente pela proliferação e fragmentação da mídia. Há vinte anos atrás, 80 por cento dos consumidores poderiam ser alcançados com apenas 30 segundos de propaganda na TV. Hoje, alcançar este mesmo percentual é uma tarefa árdua, com a necessidade de inserção de mais de 300 spots de TV em horário nobre.

O ambiente digital está cada vez mais presente em nosso dia a dia e apresenta um enorme potencial para a geração de novas receitas. É importante destacar que, após a geração Y (nascidos após 1980), os clubes devem estar cada vez mais preparados para entender e atender aos anseios de um novo perfil de consumidor.

A geração Z, (nascidos entre 1990 e 1995) carregam o título “zapear” por terem crescido com o controle remoto em mãos e estão familiarizados com as mais modernas tecnologias. Estes jovens possuem mais de 20 anos de idade e influenciam o ambiente de consumo e a demanda por novos produtos e serviços, o que aumenta, ainda mais, os desafios para as organizações esportivas que ainda não aprenderam nem a lidar com a geração anterior, denominada Y.

Desenvolver uma comunidade engajada com defensores da marca apresenta um enorme potencial de geração de receitas – eles amam o seu produto o suficiente para comprar com frequência, havendo então a necessidade de estabelecer uma conexão com algum valor extra. Diante deste cenário, algumas perguntas não podem mais ficar sem respostas:

• Como é administrado o relacionamento dos clubes com os seus torcedores e de que forma é possível aumentar a receita com eles?
• Como os clubes reúnem e agregam os dados dos torcedores de forma a auxiliar na melhor tomada de decisão?
• Como é planejado o engajamento dos torcedores na internet?
• Onde encontram-se os nossos torcedores? Quais são os seus interesses?
• Os produtos e serviços disponibilizados possuem apenas foco institucional ou buscam a rentabilização financeira?

Os clubes de futebol aproveitaram muito pouco as técnicas de relacionamento utilizadas por outros segmentos de mercado e apenas recentemente perceberam que uma das melhores alternativas para maximizar e oxigenar as suas fontes receitas é através do desenvolvimento de ações de fidelização e engajamento de torcedores, que são o seu maior patrimônio.
Os avanços na tecnologia da informação forneceram as ferramentas necessárias para que os gestores desenvolvam novas estratégias. A internet se tornou uma ferramenta fascinante e pode melhorar a interação dos fãs com seus clubes.

Este novo e desafiante cenário requer uma cultura de negócios aliada a processos de marketing, vendas, produtos e serviços. O gerenciamento do relacionamento com o torcedor deve estar posicionado estrategicamente em toda entidade desportiva como um importante pilar de arrecadação.

O mundo digital oferece novas oportunidades e vantagens sobre mídia anteriormente existente. Com a tecnologia a favor do esporte, será possível conectar a torcida com seus ídolos e todos com seu time, unidos pelo amor à camisa.

Nas próximas colunas falaremos sobre desenvolvimento de programas de relacionamento, estratégias e ferramentas. Até a próxima!

Carioca, manezinho de coração, apaixonado por tecnologia e esportes. É graduado em Tecnologia da Informação, possui MBA em Gestão Empresarial pela FGV e formando da primeira turma do Programa FGV|FIFA|CIES. É co-autor do livro “Estratégia para Maximização de Receitas no Ambiente Digital em Clubes de Futebol”. Livro: https://bit.ly/2LPjV1F

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *