INFLUENCIADORES DIGITAIS | As novas estrelas dos clubes

No ambiente digital os conteúdos alcançam números surpreendentes e muitas vezes imprevisíveis de usuários. Por este e muitos outros motivos alguns clubes de futebol já iniciam estratégias e ações voltadas para o ambiente virtual.

Imagem: YouTube

Um dos primeiros clubes brasileiros a investir nesta estratégia foi o Palmeiras. O clube paulista convidou o famoso youtuber palmeirense Rezendeevil (mais de 14mi de inscritos), que cria vídeos sobre o game Minecraft, para realizar uma mini-série com cinco vídeos dentro das instalações do clube. Vídeos no centro de treinamento, em jogos e com fãs torcedores foram alguns dos conteúdos produzidos. Assista a playlist do Rezendeevil na TV FAM/Palmeiras clicando aqui.

Imagem: YouTube

O humorista Thiago Ventura, famoso pela #posedequebrada, também foi um dos famosos palmeirenses convidados para co-criar vídeos na TV FAM/Palmeiras. Com mais de 1.2mi inscritos em seu canal do YouTube, Thiago apresentou uma série com 17 vídeos sobre curiosidades e história palmeirense.

Imagem: YouTube

O maior youtuber do país atualmente, Whindersson Nunes (mais de 25mi de inscritos), também participou de ações do seu clube de futebol: o Vasco da Gama. Junto com sua família, o comediante foi até o Rio de Janeiro conhecer o Estádio São Januário e gravar vídeos, tanto para o seu canal, quanto para as mídias sociais do clube alvi-negro.

Imagem: YouTube

Já o veterano youtuber Felipe Neto (quase 17mi de inscritos) criou uma relação ainda mais forte com um clube de futebol. O botafoguense resolveu investir em seu clube do coração, patrocinando o time carioca na propriedade ‘omoplata’ da camisa. Além de produtor de conteúdo, Felipe é empresário do ramo alimentício e tem, junto com seu irmão, a marca de pizzas e coxinhas “Neto’s”. Além do acordo comercial de patrocínio pontual, vídeos (falando sobre o patrocínio e de desafios) também foram lançados em ambos os canais: do Botafogo e do próprio Felipe.

Existe um determinado debate sobre os investimentos das marcas serem realizados nestes influenciadores, sendo que eles não são esportistas/atletas. Alguns profissionais de marketing esportivo pensam que estes valores de mídia deveriam ser destinados para esportistas, para valorizar ainda mais a indústria, em vez de investir em ‘celebridades virtuais’ de segmentos variados.

E você? O que pensa? Vale a pena investir em personalidades variadas ou o foco deveria ser apenas em jogadores, etc? O retorno do investimento é o que deve ser levado em conta ou a busca por reforçar os valores que circulam no segmento futebolístico é que deveria ser a ação principal destas marcas?

Se quiser ver vídeos sobre marketing no futebol, inscreva-se no canal do Brand Bola no YouTube, clicando aqui.

Belorizontino, graduado em Publicidade e Propaganda pelo Centro Universitário de Belo Horizonte – Uni BH, Especialista em Gestão Estratégica de Marketing pela Una. Foco de Mercado em Marketing Digital e Esportivo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *