A RedBull & o Esporte, por Diego Carneiro

A RED BULL é uma empresa austríaca, fundada em 1987, tendo como atividade empresarial a bebida energética. Em 2016, vendeu 6 bilhões de latas, possuindo 11,865 colaboradores, distribuídos em 171 países. Seu “slogan” é: “Red Bull te dá asas”. Além disso, é uma corporação consolidada no mercado mundial e reconhecida no ramo dos esportes e dos eventos.

Imagem: Crack Magazine

Tudo começou quando o empresário Dietrich Mateschitz, em 1980, visitou à Tailândia. Ao chegar no país, experimentou uma bebida típica chamada “Krating Daeng”, que é composta de cafeína e taurina. Sua função é aumentar a concentração, inibir o sono e proporcionar energia, sendo muito consumida no extremo oriente, despertando o interesse no empresário austríaco.

Com um grande espírito empreendedor, Dietrich Mateschitz retornou ao seu país e começou a planejar e articular o desenvolvimento de uma bebida energética, tendo como base a taurina.

Também conhecida como ácido 2-aminoeranossulfonico ou l-taurina, ela é um ácido orgânico encontrado na bílis, fluído produzido pelo fígado. Sua função é agir como transmissor metabólico. Ele iniciou a tarefa de aprimorar a fórmula conhecida na Tailândia e usar como uma bebida funcional, focando em dois alicerces: os jovens e os esportes, e assim, o touro deu início a sua caminhada.

Além do produto inovador para época, nasce um novo conceito em divulgação. O principal pilar e propulsor da marca foi o marketing estratégico, dinâmico e agressivo. O designer arrojado da lata, as cores vibrantes e o logo foram cuidadosamente estudados e analisados, tudo isso para atrair consumidores e alavancar a empresa, utilizando novas formas de campanhas e otimizando as mídias.

Em 1989, Gerhard Berger, piloto de Fórmula 1 da Escuderia Ferrari, foi o primeiro atleta motorizado a ser patrocinado pela RED BULL. Em 1992 a RED BULL produziu seu primeiro anúncio animado, utilizando desse recurso até os dias atuais. Com isso, a companhia foi galgando conquistas, atletas e fãs pelo mundo, sempre utilizando de campanhas inovadoras e joviais.

Hoje, a RED BULL possui uma equipe na Fórmula 1 que é tetra campeã mundial, um time da liga austríaca de hóquei e patrocina vários atletas, como exemplos: Pedro “Scooby” Viana do surf, Alison Cerutti do vôlei de praia, Neymar Jr. do futebol, Blake Griffin do basquete e mais uma gama de esportistas, abrangendo várias modalidades.

Imagem: Le Blog

No futebol, a RED BULL possui o RB Leipzig – do campeonato alemão e atualmente, está em 4.º lugar, o Red Bull New York – equipe da Major League Soccer nos Estados Unidos e o FC Red Bull Salzburg – clube austríaco. Incentivar o futebol é investir no esporte mais popular do mundo. Afinal ele é uma ferramenta poderosíssima de inclusão social e de políticas públicas.

No Brasil, temos o Red Bull Brasil, com sede em Campinas/SP, fundado em 2007, e que fez a sua estréia oficial no Campeonato Paulista da Segunda Divisão no dia 20 de abril de 2008. No ano seguinte, conquistou seu primeiro título oficial sagrando-se campeão do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Em 2010, conquistou o título do Campeonato Paulista Série A3 e em 2016 estreou na Copa do Brasil, chegando às quartas de final do Campeonato Paulista.

Em pouco tempo de história, o RB BRASIL vem crescendo e se fortalecendo como equipe, e, como marca, em 2016 lançou o seu programa de sócio torcedor, o Toro Fundador. A grande diferença do programa está em benefícios que envolvem os projetos da RED BULL, como, por exemplo, acompanhar o GP Brasil da Fórmula 1 nos bastidores.

Imagem: RB Brasil

Atualmente, existe uma campanha de alguns torcedores da Portuguesa, solicitando a fusão entre a Red Bull Brasil e a Lusa. A união seria uma maneira de “ressuscitar” o clube português, que não poderá  disputar nem a 4ª divisão do brasileirão em 2018 e está se afundando em dívidas.

Fora do mundo esportivo, a RED BULL criou a fundação Wings for life, voltada aos estudos e pesquisas com a medula óssea, com objetivo de encontrar a cura para as lesões da espinal-medula. Desde então, anualmente, a empresa faz um evento chamado World Run (Corrida Mundial), que envolve seis continentes e 33 países.

Atualmente, a RED BULL virou mais do que uma corporação, tornou-se um estilo de vida. Abriu um novo paradigma no conceito de marketing, patrocina atletas, equipes, eventos e festivais, possui centros culturais com base em ações sociais e caça talentos. A sua meta vai além da venda, sendo considerada uma empresa multimarcas de alto impacto e abrangência mundial, tem como público-alvo os jovens e esportistas, com uma campanha publicitária ímpar e agressiva, tudo bem alinhando e sincronizado. E, assim, conquistou o mundo, criando um legado.

Um comentário sobre “A RedBull & o Esporte, por Diego Carneiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *