A OUSADURA DESGASTADA, POR IBRAHIN MOHAMED

Os dias vão passando e o fim da linha está cada vez mais próximo para Felipe Melo. Após a eliminação do Palmeiras na Copa do Brasil, o jogador se tornou o centro das atenções da imprensa esportiva, tanto pela conduta durante e após o jogo (cobrar os jogadores à beira do campo e se referir diretamente a jogadores do elenco como responsáveis pela eliminação) quanto pelo áudio gravado dias após o jogo, onde rasgou o verbo em relação à sua carreira e seu relacionamento com o técnico Cuca, que o afastou no último sábado do jogo contra o Avaí.

Como que em tão poucos dias Felipe Melo conseguiu desgastar tanto a sua imagem? Como em tão pouco tempo o Pitbull perdeu sua famosa “ousadura”?

Um ponto que é muito recorrente em nosso esporte, porém é erroneamente debatido, é o da gestão de jogadores. Gestão de jogadores vai muito além do atleta possuir um empresário que cuide de sua carreira. A gestão consiste em toda a relação do atleta com o “mundo exterior” (torcedores, imprensa etc.), bem como o seu comportamento e suas atitudes, facilmente difundidas por redes sociais – o WhatsApp que nos diga, não é mesmo?

O que o jogador do Palmeiras fez foi algo para servir como exemplo para todos os jogadores do futebol brasileiro. Estar ébrio e gravar um áudio soltando o verbo sobre o ambiente do Palmeiras e o relacionamento com os colegas é de uma infantilidade tamanha, incondizente com seus 34 anos de idade e longa experiência como atleta profissional.

Além de inteligência, faltou aconselhamento a Felipe Melo para conduzir toda essa situação. Por que não convocar uma entrevista coletiva se retratando e prometendo mudar todo o cenário? Por que não botar em prática a sua tão famosa ousadura? O volante já possui uma reputação duvidosa perante ao torcedor em geral por seu jeito de jogar, além, é claro, de sua ação além das quatro linhas. Então por que não mostrar o mínimo de compostura e se esclarecer?

Até pouco tempo defendi o jogador quando Cuca decidiu não relacioná-lo para o jogo do último sábado contra o Avaí, pois num momento em que o time estava decepcionando, Felipe Melo era um dos poucos que dava o sangue em campo e cobrava forte dos companheiros. Após obter informações e analisar todo o cenário que se formou, ficou muito difícil manter a defesa para o volante.

Torço para que o atleta dê a volta por cima de toda essa situação. Um tanto difícil, é verdade, mas vamos ver se a tal ousadura entra em ação dessa vez.

Foto: Fernando Dantas (Gazeta Press)

Paulistano, 20 anos. Estudante de Marketing, técnico em Multimídia e um apaixonado por futebol, especialmente pelo Palmeiras. Com muita paixão e muito conhecimento, mudaremos o futebol brasileiro para melhor!

Um comentário sobre “A OUSADURA DESGASTADA, POR IBRAHIN MOHAMED

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *